O tema discutido no último Fórum Internacional da ASAP teve como moderador o fundador da Arquitetos da Saúde, escritório de projetos estratégicos em saúde corporativa, Adriano Londres, e participantes do debate Robinson Costa, Gerente de RH da Avon, Edson De Marchi, Diretor Executivo da Fundação Zerrenner, empresa co-gestora da Ambev e Dr. Ary Ribeiro, superintendente do HCor. 

Os três gestores compartilharam o que foi possível implementar nas empresas visando assumir um melhor papel na gestão da saúde de seus funcionários. No caso da Avon, Robinson Costa cita que primeiro foi necessário organizar a entrada de dados, entender a situação da saúde da população e assim pensar em montar uma estratégia. Ele afirma que decidir ser protagonista e fazer a gestão se tornar mais eficaz, foram fatores que trouxeram bons resultados a médio e longo prazo.

Seguindo essa lógica, Edson De Marchi, da Ambev, conta que foi um erro terceirizar a gestão da saúde. A empresa concluiu que não era possível abrir mão totalmente da gestão de saúde da corporação, diante de 35 mil funcionários e cerca de 75 mil vidas geridas direta e indiretamente. Segundo ele, o trabalhador, muitas vezes, fica mais tempo no trabalho do que em casa, sendo necessário estabelecer uma nova rede, focada no local onde a pessoa se encontra. 

Edson explica que é importante a participação dos parceiros na criação de uma co-gestão, na qual o método é agir antes da enfermidade acontecer. Dessa forma, já foram implementados 11 ambulatórios (dentro de uma meta de trinta) visando resolver ali mesmo, na própria empresa, a maioria dos problemas, de forma mais rápida e eficiente para o funcionário. 

Dr. Ary Ribeiro, superintendente do HCor, fala sobre a mudança que o hospital passou, do sistema de pré para pós pagamento e as implicações que essa prática trouxe. A preparação começou em 2014 e a mudança real só aconteceu mesmo em 2016. A alteração trouxe a implementação de programas de internalização ambulatoriais e de tratamentos. Mais tarde, percebeu-se também a importância de investir na informação, centrada principalmente no funcionário, sendo esse um dos principais desafios, o domínio de informação de qualidade e no tempo certo, para poder fazer uma gestão eficaz. 

De acordo com Robinson, para que uma gestão de saúde seja eficaz, a comunicação tem que ser constante, favorecendo que toda a companhia opere de forma conjunta para obter um resultado eficiente. Dessa forma, toda semana é divulgada no jornal interno da Avon, informações sobre os planos que são oferecidos. Assista ao vídeo completo do debate e saiba mais sobre o que foi discutido.

Assista a palestra completa

Clique aqui para conhecer melhor a ASAP  ou entre em contato com a gente através do e-mail admin@asapsaude.org.br